segunda-feira, 6 de julho de 2009

A IMPORTÂNCIA DA SOLTURA











A IMPORTÂNCIA DA SOLTURA

A imagem “http://www.scumdoctor.com/images/Olympic-Rules-Of-The-Fromt-Crawl-Swimming-Technique.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

Nadar em alta intensidade, seja no treinamento ou em competição, ocasiona mudanças metabólicas no organismo do atleta.


Elas podem ser a produção de fostato inorgânico, ADP, íons de hidrogênio e principalmente ácido lático.


Este último, o pior deles pelo seu acúmulo na musculatura e comprometimento da performance.


Estas mudanças metabólicas associadas com as condições físicas acabam por sacrificar a próxima performance do nadador caso não ocorra a devida recuperação.

A imagem “http://www.bbc.co.uk/blogs/gordonfarquhar/jojackson_getty595.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

A soltura, a recuperação ativa para ser mais claro, facilita a remoção e utilização do ácido lático após uma prova ou uma série forte.

A intensidade da soltura atua diretamente no tempo de recuperação e na remoção/utilização do lactato pelo organismo.

Assim, atividades muito intensas podem continuar a produzir mais lactato, enquanto se forem muito fracas não serão suficiente para ocasionar a remoção/utilização do lactato acumulado.

A atividade ativa é cientificamente comprovada como mais eficiente do que a passiva.

A imagem “http://2.bp.blogspot.com/_tfDJSqObWaY/Sgt4jPdIAmI/AAAAAAAABrE/JY04IhgqH7M/s400/natacao_site.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

Por conta da utilização das fibras rápidas da musculatura, os velocistas produzem mais quantidade de ácido lático do que os nadadores de fundo.
Isso também indica que os velocistas demoram mais tempo para a remoção do lactato do que os nadadores de fundo.
Isto, tanto nas provas de competição como no treinamento.

A imagem “http://2.bp.blogspot.com/_hnSCfY1ak8A/R8BNYh4FoOI/AAAAAAAAFOg/tUbpskDf2IU/s320/braco%2Breto.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

A intensidade e a duração da soltura dependem diretamente da prova que o nadador está atuando e de suas características individuais.

DISTÂNCIA / ESPECIALIDADE

DURAÇÃO DA SOLTURA

INTENSIDADE / FEQ CARD

Velocistas 50 e 100 metros

25 minutos

Fácil 120-130 bpm

Meio fundo 200 a 400 metros

20 minutos

Fácil - Moderado 130 - 140 bpm

Fundistas

10-15 min

Moderado 140-150 bpm

Em competições, onde não houver piscina de soltura a disposição, os nadadores devem tentar fazer suas solturas em atividades na terra.
Isso inclui flexibilidade, alongamento e até pequenas corridas e movimentos de braços e pernas.
Mesmo que na terra, os movimentos ajudam a circulação e facilitam a remoção/utilização do ácido lático produzido e acumulado durante a prova.
Tal tipo de exercício apresenta recuperação mais rápida do que o completo descanso passivo.

A imagem “http://www.bestswimming.com.br/fotosr/20090504012401.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

A IMPORTÂNCIA DE UMA SOLTURA BEM FEITO


Muitos atletas imaginam que o cronômetro determina a parada do exercício.
Para o nosso organismo isto não é verdade.

Assim como inúmeros são os benefícios de um processo de aquecimento, preparando o corpo humano para um exercício vigoroso, é fundamental um período de desaquecimento após a prova, para fazer com que as funções vitais voltem à calma, restabelecendo o nosso organismo de forma mais rápida.

Assim, é sugerido uma soltura com ampla oxigenação do organismo, movimentos lentos e respiração bilateral.
A imagem “http://3.bp.blogspot.com/_p5eM5ysXu40/Sc5YJDDyfpI/AAAAAAAABmc/scnFYj21oqI/s400/NATA%C3%87%C3%83O+2.jpg” contém erros e não pode ser exibida.

O término do processo só termina quando a frequência cardíaca final estava abaixo dos 110 batimentos por minuto.
Mas o que se vê na prática é que os nadadores não seguem o padrão de desaquecimento passado pelos técnicos.

A imagem “http://www.goswim.tv/system/uploads/Image/KLJ.10.w.jpg” contém erros e não pode ser exibida.
Prá que soltar?
, muitos pensam.
Este fato está diretamente ligado a uma falta de informação dos atletas quanto à necessidade deste trabalho após a competição ou treinamento.
O processo de desaquecimento está ligado ao fim do esforço.

Lewis Coleman in action during the Men's Open 200m IM Final on day three of the British Gas Swimming Championships at Ponds Forge on March 18, 2009 in Sheffield, England.  (Photo by Clive Rose/Getty Images) *** Local Caption *** Lewis Coleman
Lewis Coleman

Atletas não fazem porque não sabem e porque não dão importância.
Quanto mais efetiva for a orientação quanto aos procedimentos, melhores serão os resultados por parte do atleta.

Exemplo





A imagem “http://www.uksport.gov.uk/assets/Image/newsArchive/swimming_british_gen_main.jpg” contém erros e não pode ser exibida.



SOLTURA DA SELEÇÃO BRITÂNICA

Conseguimos um guia padrão de soltura utilizado pela Seleção Britânica de Natação organizado pela equipe de Bill Sweetenham e seus companheiros de comissão técnica.
O documento foi utilizado pelos atletas durante a Copa do Mundo em New York e o Senior Nationals em Orlando.
Confira com exclusividade os detalhes e saiba a forma de como os britânicos fazem a sua soltura entre as provas:

British Swimming Swim Down National Protocol


  • Retire qualquer leg suits antes da soltura. Esteja na piscina de soltura após 3 minutos da realização da sua prova com uma garrafa de água. Re-hidratação líquida deve ser realizada imediatamente e tomada a cada oportunidade que surgir durante a soltura.
  • Nadar 200 metros a sua escolha (ritmo e estilo)
  • Nadar 400 metros, ou 4 x 100 com 20 segundos de intervalo, alternando 100 livre e 100 costas (nadadores de peito podem incluir seu estilo na série).
  • A intensidade deve ser equivalente ao ritmo de treino com 50 batimentos abaixo do máximo para a maioria dos nadadores (60 batimentos abaixo do máximo para os velocistas e 40 batimentos abaixo para os fundistas).
  • Nadar 4 x 100 a cada 50 batimentos abaixo do máximo usando 3 estilos concentrando-se na pernada.
  • Alternar 50s ou 100s para manter o trabalho na pernada
  • Aceleração de 10 a 15 metros durante este série pode ser estimulada pelo treinador ou fisiologista de controle
  • Após 2 minutos de intervalo, avaliar freqüência cardíaca e nível de lactato.
  • Se o nível de concentração de ácido lático estiver maior do que 2mMol e a frequëncia cardíaca acima de 100 batimentos por minuto, continuar com o protocolo de soltura, ou soltar apenas mais 200 metros para encerrar o programa.
  • Nada 5 x 100 a cada 50 batimentos abaixo do máximo usando 3 estilos e concentrando-se na pernada.
  1. Alternar 50s ou 100s para concentrar-se melhor na pernada
  2. Aceleração de 10 a 15 metros durante a série podem ser estimuladas pelo treinador.

    • Após 2 minutos de intervalo, medir novamente. Se o ácido lático estiver abaixo de 2mMol e a freqüência cardíaca acima dos 100 batimentos,

    Lewis Coleman in action during the Men's Open 200m IM Final on day three of the British Gas Swimming Championships at Ponds Forge on March 18, 2009 in Sheffield, England.  (Photo by Clive Rose/Getty Images) *** Local Caption *** Lewis ColemanLista numerada


Lewis Coleman

Algumas dicas:

    • A duração de uma soltura varia mais ou menos 1.200 metros para nadadores do sexo feminino e 1.600 metros para os do sexo masculino.
    • Treinadores não devem ter longas conversas com o nadador até o final da soltura, ou pelo menos apos 800 metros completados.
    • Todos os nadadores da Seleção Britânica devem seguir este protocolo de soltura após suas provas.
Fonte:Dr. Marcus V. Strozberg ** Médico especializado em medicina do esporte pela Escola Paulista de Medicinas
Alex Pussieldi/Best Swimm /Go Swimm /British Swimming

Nenhum comentário: