quarta-feira, 23 de abril de 2014

Natação paraolímpica conquista mais de 50 medalhas na Dinamarca




Competição foi realizada em Esbjerg e contou com a participação de 23 dos principais nadadores brasileiros.

Com a conquista de mais de 50 medalhas, a seleção brasileira de natação paraolímpica encerrou a participação no Aberto da Dinamarca (Danish Open 2014) com ótimos resultados. A novidade ficou com a quebra de recorde nos 100m costas, classe S4, com Edênia Garcia e nos 50m costas S4, com Ronystony Silva, dois atletas que fazem parte do Bolsa Pódio, do Ministério do Esporte. A competição foi realizada em Esbjerg e contou com a participação de 23 dos principais nadadores brasileiros.

O desempenho dos atletas foi ressaltado pelo novo técnico da seleção, Leonardo Tomasello, que destacou, principalmente, as quebras de recorde pela nadadora Edênia Garcia,
que estabeleceu o novo recorde das Américas na prova de 100m costas, com 1min53s71, classe S4; e Ronystony Silva, que bateu o recorde brasileiro dos 50m costas, com 48s66, classe S4.

A atleta nasceu com polineuropatia sensitiva, doença motora que prejudica o movimento de braços e pernas. Ronystony é cadeirante devido a um acidente de bicicleta que lesionou a coluna cervical. No total foram conquistadas 51 medalhas, sendo 40 de ouro, oito de prata e três de bronze. As vitórias são reflexos do bom momento da natação brasileira, que alcançou a sexta colocação no último mundial da modalidade, em Montreal 2013.

Segundo Tomasello, o balanço da competição na Dinamarca foi positivo. “As medalhas representam o esforço dos atletas nesta nova fase de treinamento. Chegamos à Dinamarca com o objetivo de participar de muitas provas, complementar nosso treino e fazer a primeira avaliação nessa fase de trabalho. Para nós da comissão técnica o Aberto foi ideal para isso, pois foi realizado em uma boa piscina, e com atletas de alto nível técnico. Estamos voltando ao Brasil com a sensação de dever cumprido”, disse o técnico.

A seleção ainda participa de outros três campeonatos abertos internacionais em 2014. Em abril, o grupo volta a competir no Open Internacional de São Paulo e em um aberto na Holanda. Em agosto, a competição será na Califórnia, nos Estados Unidos.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Troféu Maria Lenk de natação volta a São Paulo após 14 anos

Depois de 14 anos, o Troféu Maria Lenk de natação, principal competição da modalidade no País, voltará a ser disputado em São Paulo. 
A competição será realizada entre 21 e 26 de abril no Parque Aquático do Ibirapuera e pela primeira vez com o atual nome na capital paulista.
O torneio só passou a ter esta denominação em 2007, pouco antes dos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro, pelo falecimento de Maria Lenk, considerada a mais importante nadadora da história do Brasil. 
Ela foi a primeira mulher sul-americana a disputar uma edição das Olimpíadas, em Los Angeles-1932. 

Integrante do Hall da Fama da Natação, ela bateu o recorde mundial nos 200m e 400m peito e ainda introduziu o nado borboleta nos Jogos de Berlim-1936.
Este ano, o Maria Lenk, última seletiva para o Pan-pacífico, contará com 350 nadadores representando 42 clubes. 
Pinheiros, com 75 atletas, Corinthians, com 57, e Minas, com 42, são as maiores delegações. Os destaques são as participações dos medalhistas olímpicos Cesar Cielo e Thiago Pereira, além dos maratonistas Poliana Okimoto, Ana Marcela Cunha, Samuel de Bona, Allan do Carmo e Diogo Villarinho.
O atual campeão do Troféu Maria Lenk é o Minas Tênis, que conta com Cesar Cielo em sua equipe para lutar pelo décimo título. 

Na última vez que a competição foi realizada em São Paulo, em 2000, o Vasco da Gama ficou com a primeira colocação na disputa entre clubes.

Prevenção de afogamentos das crianças



A ISR (Infant Swimming Resource) é uma organização reconhecida nos EUA, que ensina natação de auto-salvamento para crianças de 6 meses a 6 anos.

A principal missão da ISR é evitar afogamentos em crianças desde os 6 meses até aos 6 anos através da educação dos pais, profissionais da área, médicos e a comunidade sobre a necessidade de prevenção de afogamento e segurança.
 O afogamento é uma das principais causas de morte e incapacidade a nível mundial.

No verão, cresce o número de acidentes com crianças em piscinas, lagos e rios.
Segundo os dados mais recentes da ONG Criança Segura, os afogamentos são a segunda causa de morte entre crianças e adolescentes de 1 a 14 anos no Brasil: anualmente, quase 1,4 mil perdem a vida afogados. 
Além das medidas restritivas de acesso a esses locais, uma técnica promete fazer com que os pais fiquem mais seguros se porventura ocorrerem acidentes.

 Criado pelo doutor em psicologia norte-americano Harvey Barnett, o Infant Swim Resource (ISR) é um método de sobrevivência para crianças em quedas acidentais na água.
A técnica em segurança ISR ensina crianças dos 6 meses aos 6 anos competências específicas que lhes permitem salvar suas próprias vidas.

O que as crianças aprendem?

Crianças dos 6 aos 12 meses aprendem a rodar a partir de uma posição de face para baixo na água para uma posição de flutuar. 
O bebê vai ser ensinado a descansar e respirar de costas para a água, a boiar, até chegar ajuda.



Crianças a partir 12 meses ou mais vão aprender uma sequência de natação de nadar-boiar-nadar.
 Estas crianças vão ser ensinadas a nadar de bruços com os braços e as pernas (semelhante a um curso livre); rodar sobre as suas costas para flutuar, descansar e respirar quando precisarem de ar, e então virar para o seu estômago para continuar a nadar até que cheguem a um ponto de segurança.
 Esta sequência de natação de nadar-boiar-nadar pode ser repetida tantas vezes quantas forem necessárias para alcançar a segurança. 

Os alunos são ensinados a usar essas habilidades para nadar até uma parede, por etapas, ou se tal não for possível, pelo menos chegar a um ponto de segurança para utilizar um apoio que lhes permita voltar, descansando e respirando.



Os instrutores da ISR completaram já mais de 7 milhões de aulas seguras e eficazes. 
Cada instrutor é altamente treinado e certificado no programa Infant Swimming Resource.
 A formação de instrutor da ISR inclui uma formação com supervisão em água, mais uma componente teórica com aulas em matérias como a psicologia infantil, fisiologia e ciências comportamentais. 
Além disso, cada instrutor ISR deve fazer uma reciclagem de dois em dois anos para manter a sua filiação com o programa, o que inclui a manutenção da certificação de Primeiros Socorros. 
Todas as crianças que se registam no programa passam por um processo de registo online detalhado, incluindo uma revisão do histórico de saúde de cada criança, sendo a equipa da ISR altamente treinada na avaliação para garantir a participação segura de cada aluno no seu programa.

Uma diferença importante entre a ISR e a maior parte de outros programas de natação é o nosso ênfase na segurança durante as aulas. 
Ao longo dos anos, ouvimos falar de programas que atiram as crianças para dentro de água, ou que as deixam cair de uma prancha de mergulho, ou que as mantém na água até cerca de uma hora; qualquer um destes programas pode ser agressivo  seriamente com uma criança.

No Brasil país tropical com extensa faixa litoranea, pode sim dar certo esse tipo de programa,  mas somos bem diferente do público americano. 
Quanto as necessidades e o fator educacional e cultural.
A maior parte dos programas nos Estados Unidos em Portugal funcionam desta maneira – com práticas que visualmente podem agredir ou mau tratar ( mesmo que não intencionalmente) crianças ou com instrutores com boas intenções mas pouco treino.


 
Oque é o programa de treinamento?
 O programa de treinamento Infant Swimming Resource’s Self-Rescue™ 
  1. tem a duração média de 6 semanas, 
  2. sendo 1 aula de até 10 minutos por dia, de segunda a sexta. 
  3. A consistência na frequência diária às aulas é muito importante na evolução do aprendizado das habilidades pela criança;

 INFANT SWIMMING RESOURCE INFORMA:
  1.  Antes do início do treinamento, uma equipe de especialistas da ISR avaliará em detalhes o histórico médico e comportamental do seu filho, procurando identificar fatores que possam afetar as aulas ou a segurança dele. 
  2. Antes, durante e após cada aula, são rigorosamente seguidos protocolos de segurança ISR e é feito um acompanhamento 24x7 da rotina da criança, com auxílio dos pais, garantindo o bem estar e a saúde dela durante todo o treinamento. 
  3.  As aulas são individuais, personalizadas um-para-um, preparadas e adaptadas diariamente e ministradas por Instrutores Certificados ISR segundo o perfil e grau de desenvolvimento, únicos, de cada aluno, ao longo do curso; 
  4.  Os pais tem participação ativa e essencial no treinamento dos filhos e também passam por treinamento educativo paralelo, referente à segurança na água, aspectos comportamentais, emocionais e fisiológicos das crianças e são orientados sobre como auxiliá-las para que obtenham a melhor experiência possível no desenvolvimento e manutenção das habilidades de auto-salvamento; 
  5. Assim que a criança aprende as habilidades de auto-salvamento, ela as praticará completamente vestida com roupas de verão e inverno, nos últimos dias do treinamento, em uma série de performances supervisionadas de perto pelo instrutor, simulando situações reais que podem ocorrer no dia a dia (as estatísticas indicam que 86% das crianças que caem acidentalmente na água estão completamente vestidas); 
  6. . Ao longo do curso, e sempre que a criança precisar de interromper as aulas por indicação do seu pediatra ou se faltar mais de três dias, por doença, terá que ser feita uma atualização do seu estado clínico à ISR e só será dada aprovação para regressar às aulas após uma avaliação positiva do médico
  7. O curso não é rígido, sendo cada aula adaptada à resposta e evolução de cada criança.
     "American Academy of Pediatrics" (AAP)  que quando uma criança começa as aulas (de auto salvamento) concluiu: 
     Que crianças  que passaram pelo treinamento da ISR  tem maior intimidade com o meio líquido e portanto capaz de evitar seu "próprio afogamento".
 É importante lembrar que as aulas da ISR não são "aulas de natação" tradicionais. 
O seu filho não vai aprender a nadar peito, nem aprender a virar a cabeça para o lado para respirar, porque, como a AAP afirma, as crianças não estão geralmente preparadas para aprender estas técnicas até aos quatro anos de idade.


O que o seu filho vai aprender, contudo, são técnicas de sobrevivência em meio aquático:
  •  a capacidade de rolar sobre o seu corpo para respirar
  •  e permanecer a flutuar, 
  • e se tiver mais que um ano, continuar o processo de nadar e flutuar sobre as costas até conseguir atingir uma saída para sair da água.

A organização não governamental (ONG) Criança Segura lançou campanha de prevenção contra afogamentos de crianças e adolescentes para alertar a sociedade sobre o perigo da falta de atenção:
 afogamentos ocupam o segundo lugar no ranking de mortes de crianças até 14 anos por acidentes no Brasil. (O trânsito, incluindo os atropelamentos, ocupa o primeiro lugar, com 2 mil mortes por ano).

Lembrando que para chegar ao resultado final, ocorre muito choro no processo, conhecemos a técnica e sabemos que físicamente é segura, mas para países onde se trabalha com tanta riqueza a natação infantil e bebes a aplicação é um tanto questionável.
Chorar no colo dos pais ou no começo da aula tudo bem... mas chorar por 10 min durante meses todos os dias ? cuidado...

Para mais informações veja:

www.criancasegura.org.br:
http://www.infantswim.com/  
INATI - Instituto de Natação Infantil



quinta-feira, 17 de abril de 2014

CONSTRUINDO RESISTÊNCIA- TREINO

Resistência geral, para desenvolver resistencia e necessário paciência, nao há um tempo pre determinado, pois cada nadador responde dentro do seu tempo, ritmo e condicões físicas iniciais.

É preciso dedicação e perseverança para um nadador  desenvolver capacidade cardio  respiratória adequada e memória muscular para  nadar por longos períodos (fundo ou aeróbio).

Em treinos com objetivos diferentes , por exemplo:

  •  velocidade 
  •  resistência
  • força
 Haverá uma melhora técnica no seu nado resultando numa melhora cardiorespiratoria e consequente aumento das distancias , podendo nadar de forma  mais eficiente.
 Para um iniciante, nadar três ou quatro vezes por semana, durante períodos mais curtos desenvolverá uma  resistência mais rápida e adequada,  do que nadar por periodo mais extenso tempo, em treinos  menos frequentes.

Nadadores mais experientes  treinar duas ou três vezes por semana apresentam um bom desempenho.

Exemplo de  treino segundo seus objetivos:

1.Capacidade Respiratória  e rítmo.
  1. Expire sob a água ao nadar.
  2. Exalando sob a água, você se permite uma respiração completa inspiração quando  executar respiracao durante o nado.
  3.  Conte suas braçadas.
  4.  Isso vai ajudar você a manter um ritmo regular e manter o  deslocamento contínuo tornando o mais consistente.
  5. Mantenha a cabeça alinhada com o tronco  com uma visao periferica durante nado( para baixo e a frente)  resultando em uma posiçao aerodinâmico.
2. Tração força (Braços e pernas).
  1. Mantenha seus pés juntos, tanto quanto possível. (trabalho de pernada)
  2.  Quando executar a respiração , acentue o rítmo do nado.
  3. Mantenha o cotovelo alto quanto você puxar o ar (crawl). 
  4. Certifique-se de empurrar todo o  trajeto da braçada, tanto quanto você puder. 
  5. Comece empurrando firmemente a cada chegada aumento a tração a cada volta, mantendo o seu ritmo. 
  6. Aumente gradualmente o número de empurradas fortes, com cada sessão de treinamento de resistência, utilizando implementos como palmares, lastros, roupa etc.
3. Trações diferenciadas
  1. Aqueça-se, nadando uma série de 25 metros, em seguida, uma série de 50 metros.
  2. Nade 3X25 metros  com foco na atração de seu braço direito por meio da uma braçada mais  forte, usando uma boia de puxar, se desejar. (para quedas, lastro, arrasto)
  3.  Nade  3x 25 metros  com foco na atração de seu braço esquerdo intensamente.
  4.  Em seguida, nade 3X 25 metros, com foco na sua pernada e sua eficácia. 
  5. Enquanto trabalha sua pernada (3 voltas), diminua a força e rítmo do nado , mas mantenha o rítmo da braçada .
  6. . Solte nadando  em um ritmo lento, mas constante. 
Depois de três a quatro semanas, você vai ser capaz de nadar este padrão facilmente. Nesse ponto, aumente as voltas em incrementos de 25 metros, até 150 metros.

4. Treinamento de resistência. 
  1.  Nade por volta de 25 metros, em seguida, uma volta de 50 metros para aquecer.
  2. Nade duas voltas, com foco em sua tração e respiração.
  3. Nade mais duas voltas, com foco na pernada.
  4. Nade um exercício de escada (pirâmide), começando com 25 metros, e depois aumentar a 50, 75, depois de 100 metros.
  5. Diminua a sua série para 75, depois 50 e, por último 25 metros, com períodos de descanso curtos entre os dois.
  6. Relaxe  nadando solto em um ritmo lento, mas constante.

 Você pode nadar esta série  aumentando suas chegadas ou voltas em incrementos de 25 metros ao longo do tempo  diminuindo  o seu período de descanso.

Bom treino!!!

Michael Phelps volta às competições este mês, abril 2014, diz imprensa americana

Maior medalhista olímpico da história, com 22 medalhas no total, seis delas apenas nos Jogos de Londres, em 2012, o nadador americano Michael Phelps voltará a competir profissionalmente este mês. 
É o que garantem vários jornais americanos, entre eles o "Chicago Tribune". 
Segundo as publicações, Phelps, de 28 anos, decretaria o fim de sua aposentadoria durante o Arena Grand Prix de Mesa, no Arizona, entre os dias 24 e 26 de abril, na Skyline Aquatic Center. 
Estão confirmados na competição grandes nomes da natação americana, como Ryan Lochte e Katie Ledecky. 
A Federação Americana de Natação confirma a inscrição do atleta na disputa.
A participação de Phelps seria a primeira após sua retirada das piscinas, em 2012, quando conquistou seis medalhas em Londres, quatro delas de ouro. 
E poderia ser o começo de uma trajetória rumo ao seu quinto Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro, em 2016. 
Desde o ano passado seu retorno vem sendo especulado pela mídia americana. 
A disputa terá 500 atletas, com cerca de 50 nadadores da seleção americana.

A Arena Grand Prix de Mesa faz parte de um circuito nacional dos Estados Unidos que coloca em ação, em seis etapas, a nata da natação do país. 
A competição distribui ao todo cerca de US$ 150 mil (quase R$ 350 mil em premiação) durante o ano.

Em agosto, o campeonato nacional americano acontece em Irvine, e serve de qualificação para o Mundial de natação, em 2015. 
Para o técnico de Phelps, Bob Bowman, é cedo para fazer qualquer avaliação sobre Michael.

- Se ele nadar um torneio nos próximos meses e for bem, ele provavelmente vai participar da competição em Irvine. Mas isso não quer dizer que ele buscará uma vaga nas Olimpíadas de 2016 - frisou.

Bowman garante que Phelps gostaria de se concentrar em provas curtas, como os 100 metros estilo livre e os 100 metros borboleta. 
O americano tem medalhas olímpicas nos 100 e 200 metros borboleta, 200 e 400 metros medley e nos 200 metros estilo livre.

CURTINDO A VIDA ...
Durante suas “férias”, Phelps viveu dias de celebridade. 
Foram 20 meses de aposentadoria, mas que foram vividos com muita intensidade pelo nadador.

Em 2012, Phelps se arriscou como modelo e fez ensaios fotográficos para a grife Louis Vitton. 
Ao seu lado, posou a ex-ginasta Larissa Lathynia. 
Além disso, foi à Las Vegas e, segundo o site americano TMZ, o nadador teria ganho 100 mil dólares em apenas uma noite de pôquer. 
No mesmo ano, disputou um torneio de golfe na Escócia ao lado do atleta paralímpico Oscar Pistorius, até então livre das acusações de ter assassinado premeditadamente sua namorada Reeva Steenkamp.
Depois, Phelps ainda teve passagens pelo Brasil, onde em uma delas visitou o Complexo do Alemão, no Rio, quando nadou junto com o atleta paralímpico Daniel Dias. 


Ainda no país, gravou um comercial para a rede de sanduíches Subaway ao lado de Pelé.

A aposentadoria de Phelps ficou marcada também por aparições ao lado de estrelas do esporte, homenagens, prêmios e até mesmo foto indiscreta em capa de revista em que aparece de bumbum de fora.

Vamos torcer por seu retorno realmente a natação... chega de férias né, cansa muito tanta estripulia...

terça-feira, 8 de abril de 2014

MAROMBADO NADANDO? É POSSÍVEL?

Muitas pessoas nadam por  fitness ou saúde sem grandes pretenções , pulando na piscina e realizando um treino relaxante de longa duração contínuo sem grandes alterações de rítmo e força.

 Este tipo de treino aeróbico de baixo impacto aumenta a resistência cardiovascular, mas pode te deixar mais musculoso e definido ?
Infelizmente não.
Mas melhora muito sua capacidade cardio respiratória e auxilia na perda de peso.
O músculo é um tecido macio no corpo humano que consome mais energia do que outros tecidos , tornando-se essencial para a perda de peso. 
Desempenha um papel vital à medida que envelhecemos , ajudando executar movimentos tracionando os ossos através do tendão , a resistencia óssea e prevenção da osteoporose. 
 Além disso,  a função muscular e desempenha um papel na prevenção de quedas .  
Desta forma a natação torna se a principal forma de manutenção e ganho muscular quando é a única atividade física.


Três mecanismos podem resultar em hipertrofia :

Resistência mecânica: tensão mecânica é tipicamente descrita como sensação de músculo com sobrecarga de equipamentos ou ritmo forte. 

Existem diferentes tipos de contrações :
  •  tensão em um músculo extensão ou flexão passiva ( mantendo contração) , a fonte de tensão é chamado de tensão elástica passiva. contração isométrica ( Contreras 2013)
  •  um músculo flexionando executando uma resistencia positiva (vencendo a resistencia), tensão ativa . Contração Isotônica . 
 Natação, como todas as atividades dinâmicas , provoca contração muscular .
 Na natação , a tensão mecânica é relativamente baixa durante nado casual. No entanto, a natação sprints aumenta a tensão passiva e ativa . a interação dessas forças.
  •     Estresse metabólico : imagine realizando 10 x 100 - sprints quintal para o tempo em 2:00 .  
Pense na sensação de seus braços , (fadiga e sensação de desgaste máximo) ... este é o estresse metabólico.  
Nadadores profissionais vivenciam esses mecanismos constantemente. 

No entanto, o nadador comun , casual (mesmo master) não tem tanto contato com treinos que geram essas situações, como a natação aeróbica contínua (lática ou alatica) no cotidiano.
 

O stress metabólico promover hipoxia , a falta de oxigênio fornecido para o músculo . 7
A natação é raro , uma vez que usa períodos de hipóxia e hipercapnia .  
Estresse metabólico é provável alta na natação, devido à natureza hipóxica combinado com conjuntos de tolerância de intervalo ou de lactato (como 10 x 100s ) .
    
Dor muscular .

 Dor muscular tardia ( DMT) tipicamente picos de 48 horas após o exercício.  
Ativação muscular excêntrica , o alongamento rápido do músculo , é o principal culpado pela sensação  de dor muscular tardia.  
A sensação na musculatura também é enriquecida pela alteração de séries, uma razão pela qual sentimos ao iniciar treinos após longo período de repouso. Como no início da temporada ou quando há uma  atividade intervalada em terra .  
Alterar treino é importante para a construção de massa muscular , um processo incomum na natação.  
No entanto, alterar estratégias e ciclos promove a quebra de homeostase, gerando uma nova resposta muscular. 


Seja  através de exercícios diferentes , traçados e equipamentos na piscina.
Natação provoca estresse nestes três categorias, mas certas formas de treinamento provocar maior estresse para a construção muscular .

 Se você está buscando o crescimento muscular máximo na natação, repetidos sprints de pelo menos 20 maximamente salienta o sistema metabólico , criando alta tensão mecânica (para natação) , e causando hipertrofia muscular (especialmente se você não fizer uma série intensa ou longa ou usar um equipamento de sobrecarga ) . 

 Manter estes mecanismos de construção muscular em mente que você escolher os seus conjuntos de natação , especialmente se você não executar o treinamento de resistência , o construtor muscular final.
NADE E CRESÇA !!
VAMOS LÁ...

8 de Abril - Dia Internacional da Natação -COMEMORE!

Em uma Olimpíada, a natação é considerada um dos esportes mais nobres.
 Em 23 de junho de 1894, o barão Pierre de Coubertain, apoiado por amigos e inúmeras celebridades, inaugurou os Jogos Olímpicos modernos.
 A cada olimpíada atletas de todas as partes do planeta superam limites nas raias da maior de todas as competições.
A natação brasileira ao longo dos anos tem conquistado muitas vitórias destacando-se no cenário mundial.
A estréia da equipe de Natação brasileira em uma Olimpíada foi em 1920, na Antuérpia, e o primeiro nadador só subiu ao pódio mais de 32 anos depois.
A primeira medalha ganha pelo Brasil foi na Olimpíada de Helsinki, em 1952, o nadador Tetsuo Okamoto ganhou a medalha de bronze nos 1500 m livre.

A segunda medalha brasileira veio com Manoel dos Santos, que ganhou bronze nos 100 m livre dos Jogos de Roma, em 1960.
Somente em 1980, vinte anos depois, Djan Madruga, Jorge Fernandes, Cyro Delgado e Marcus Matiollinos conquistaram a medalha de Bronze no revezamento 4x200 m livre nos Jogos Olímpicos de Moscou.

No ano de 1984, o Brasil conquistou sua primeira medalha de prata nos Jogos de Los Angeles, com Ricardo Prado, que entra para a história do esporte nacional ao conquistar o segundo lugar nos 400 m. Gustavo Borges foi o primeiro atleta brasileiro a conquistar três medalhas em Olimpíadas.

No ano de 1992, em Barcelona, ele foi vice-campeão nos 100m livre.
Nas Olimpíadas de Atlanta, em 1996, Gustavo conquistou a medalha prata pelos 200 m livre, e o bronze, pelos 100 m livre.
Fernando Scherer foi outro medalhista da Olimpíada de Atlanta, ele conquistou bronze nos 50 m livre.
Já a história da natação feminina brasileira, a nadadora Fabíola Molina foi a única que atleta feminina que participou dos Jogos Olímpicos, no ano de 2000 em Sidney.
Muitas dispustas virão novos rostos, maios modernos, super nadadores.... Gigantes ou não .... Espero um dia destacar o nome de todos que amam a natação seja medalhista olimpico....
ou guerreiro das águas ergam os braços pra comemorar...
FELIZ DIA DA NATAÇÃO!!!