boo-box

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

SAÍDAS (Mergulho)

O primeiro tipo de saída era balanceado . Jogavam-se os braços para frente e pra traz. A primeira saída com bases científicas foi a "Clássica", em seguida a "Graab"ou "agarre". E mais adiante, a saída "scoop", que é de alto nível. No salto , se carpa o corpo, entrando de ponta. Na parte submersa, eleva-se a cabeça e a força vertical se transforma em horizontal. Portanto, o nadador não vai ao fundo da piscina. Atualmente, é usada a saída "graab"associada ao "scoop". É a que dá melhor resultado.

As Saídas "secas" ou fora dágua são utilizadas pelos nados Crawl, Peito e o Borboleta.

Todd Pace foi campeão absoluto americano dos 50 metros nado livre várias vezes na década de 90 e conhecido mundialmente como a saída mais rápida do mundo na época.
Todd também venceu o Pan de 1991 em Havana e derrotou todos os maiores velocistas da sua época (Matt Biondi, Tom Jaeger, Alex Popov, e outros).
Primeiro atleta do mundo a utilizar a conhecida saída de atletismo no bloco de partida, Todd atendeu a um pedido do seu ex-técnico Jack Nelson e deu esta palestra fantástica a respeito de saídas. Confira pois vale a pena.

"Agradeço a oportunidade de poder apresentar minhas idéias a respeito de uma coisa que estudei muito e que gosto demais. Deixei de nadar há um bocado de tempo mas continuo amando este esporte para o resto de minha vida. O que vou apresentar aqui hoje não é nada revolucionário ou diferente, mas eu garanto que se você seguir exatamente o que eu lhe ofereço você vai ganhar de 3 a 4 décimos de segundo no total de sua prova e todo mundo sabe que isso representa muito na prova dos 50 livre.

Eu tive a oportunidade de ser o primeiro atleta a utilizar a track start, saída de atletismo em natação, e foi resultado de uma série de observações e estudos que fiz em minha carreira como nadador. Aliás, acho que devemos sempre ser inovativos. Estar sempre buscando novas alternativas para sempre estarmos melhorando, sempre.

Também devemos ser críticos com nós mesmo e fazer desta permanente avaliação uma forma a mais da busca da perfeição em tudo que fizermos. Eu sempre penso de que forma possa melhorar e vou atrás disso. Foi assim que cheguei até o ponto da minha saída em natação.

Antigamente eu tinha a mais lenta saída que qualquer nadador já teve no Mundo. Entretanto, assistindo a final olímpica dos 100 livre e vendo Rowdy Gaines (campeão olímpico em 1984 e recordista mundial) sair e ganhar a prova fez com que eu repensasse um pouco sobre a forma de sua saída e de como trazer isso para a minha saída. Ele saiu tão rápido naquele dia que quase todo mundo chegou a comentar que tinha sido saída escapada.

Se de Rowdy Gaines eu tirei a habilidade de sair rápido do bloco, observando outro nadador fui buscar outra grande qualidade. Foi em Pablo Morales (ex-recordista mundial dos 100 borboleta) que vi a mais perfeita entrada na água que já havia visto em minha vida. Era tão perfeita que a gente via Pablo entrar na água desaparecer e aparecer lá na frente sem qualquer splash nem na entrada e muito menos no início do seu nado.

Eu pensei comigo mesmo, combinando estas técnicas que observei, irei ter a melhor e mais rápida saída do mundo. E tive...

Minha teoria é matemática. Foi através da matemática que cheguei a conclusão de que a posição que eu usava era a mais eficiente. A saída de atletismo é, sem dúvida, a mais rápida do mundo. Entretanto, a posição do atleta no bloco tem de ser neutra. Você não pode estar muito a frente, e jamais puxar para trás. Você tem que estar relaxado.

A posição da cabeça também deve ser a mais confortável possível. Não gosto da posição alta da cabeça no bloco. Não faça pressão das mãos no bloco. Fique relaxado ao colocar as mãos para sair.

Se você estiver fazendo pressão, estará com a musculatura contraída e isso representará um pequeno atraso na reação e movimento para a frente. Na posição dos pés, eu coloco o pé mais forte na frente e deixo o de trás levemente levantado. A pressão maior será sobre o pé da frente.

Eu puxo as mãos para trás e explico porque. Se você levar as mãos para a frente você apenas empurra o bloco para trás, o que daria um valor X nesta ação de empurre. Entretnto se você leva as mãos para trás, ao invés de empurrar o bloco, você estará puxando ele e esta força será pelo menos 10 vezes maior do que X que representou o movimento anterior.

A diferença entre empurrar e puxar, dá ao meu movimento de saída uma potência muito maior e mais eficiente. Portanto, use os seus braços, mas tenha eles relaxado antes do sinal de partida. Ao iniciar a puxada, não pare mais até finalizar o movimento completo de saída.

No caso da saída dos atletas que jogam os braços para a frente, eles utilizam apenas as pernas como acionadoras da propulsão de largada. Assim, se sairmos juntos do bloco, eu vou ser mais rápido pois terei uma força de impulsão maior do que a do que joga os braços para a frente.

No posicionamento dos pés, coloco minha perna mais forte a frente e levanto levemente o pé alguns centímetros para trás. Existe uma pressão maior na parte da frente e meu corpo é puxado para a frente, nunca para cima.

Uma das primeiras coisas que sempre fiz ao chegar em uma piscina onde vou competir é checar os blocos e ver exatemente a inclinação, a distância e a forma de agarre. Temos sempre de estar estudando nosso jogo.

Na década de 80, um nadador americano, Steve Crocker, ficou conhecido como a 2a mais rápida saída do mundo, atrás apenas da minha. Entretanto, ele tinha uma reação de bloco mais rápida do que a minha mas quando iniciávamos a nadar eu estava na frente dele. A ddiferença estava no ângulo da saída dele era diretamente para baixo, enquanto que a minha é para a frente. Eu mesmo ficava impressionado com a saída de Steve Crocker mas era rápida até demais a ponto até de comprometer o início do seu nado.

A posição da cabeça no bloco é a posição mais alta que a minha cabeça irá atingir durante todo o trajeto da saída. Atletas que saem muito alto (principalmente com a cabeça) tem a tendência de cair mais próximo e o pior mais fundo.

A entrada na água é chave. Temos de entrar na água como um atleta de saltos ornamentais, em completo streamline e tentando fazer o menor splash possível.
Quanto mais splash você fizer na sua entrada na água, mais ineficiente será sua saída.

Streamline é tudo!

Um detalhe muito importante é de que se você fizer todo o sacrifício para ter a melhor impulsão de bloco possível e tiver uma péssima entrada na água, a resistência que você vai ter será ainda maior, ou seja, para quem tem uma excelente impulsão de bloco tem de ter uma excelente entrada na água sob o risco de ter a maior força de resistência contrária por uma péssima entrada.

O primeiro ciclo de braçada também é algo muito importante. Saber levar a transição do movimento de partida para o início de nado é algo bastante ligado a sensibilidade do nadador. Subir diretamente para cima, levantar a cabeça demasiadamente, iniciar o nado prematuramente, são erros bastante comuns.

Bom início de nado, será aquele que o atleta conseguir iniciar o seu ciclo de nado no momento adequado quando o seu corpo começar a perder velocidade que ele trouxe do movimento de partida. O corpo no início de nado deve ser projetado para a frente e nunca para cima e jamais iniciar a respirar logo no primeiro ciclo de braçada.

Eu espero ter contribuido para o desenvolvimento de suas saídas e mesmo que algumas idéias não batam com as suas, trate sempre de buscar novas alternativas sempre na procura da melhora de sua técnica e buscando a perfeição.

Eu um dia eu disse para mim mesmo que teria a melhor saída do mundo e acho que consegui desenvolver esta técnica e que não me fez o melhor o mundo, mas eu ganhei de quase todos eles... (risos)."

Palestra apresentada no International Swimming Hall of Fame em 29 de novembro de 2003.

A técnica de Todd Pace está de volta. Mais aperfeiçoada, identificamos vários dos grandes nadadores a nível internacional utilizando a técnica que com algumas modificações tem ficado melhor e mais rápida.

A técnica que aqui descreveremos, pode ser observada em diversos nadadores de alta performance com algumas variantes, mas os princípios gerais são básicos e encontrados em todos eles.
TÉCNICA DE SAÍDAS
DESCRIÇÃO DA TÉCNICA

Divulgação

Posicionamento inicial de Roland Schoeman
Alex Pussieldi
Publicado em 02/09/2006

1) Posicionamento da saída de atletismo.

Variantes: abertura dos pés, colocação do pé mais forte a frente, colocação do pé mais forte atrás, posicionamento do quadril que na versão mais moderna está levando o quadril mais para trás.

2) Agarre firme do bloco

Não há variante, pois aqui o objetivo é segurar firme o bloco a ser empurrado para trás.

3) Ao sinal de partida, empurrão dos braços de forma explosiva para trás, projeção do corpo para a frente num bloco só, jogada da cabeça para frente, e não para cima.

O objetivo é arrancar o bloco jogando-o para longe da piscina.

4) No momento do vôo, os braços que foram empurrados para trás, retornam rapidamente a posição de streamline antes da entrada na água.

Variantes: alguns retornam os braços bem junto ao corpo, outros pelo lado.

5) Entrada na água de forma limpa e explosiva.



Nada melhor do que visualizar as imagens de vários dos principais nadadores do mundo para entender melhor a técnica da Saída de Atletismo com projeção dos braços para trás.

César Cielo é o brasileiro que melhor faz a técnica mas aqui ele saiu desalinhado


Ian Crocker executa o movimento trazendo os cotovelos altos e para os lados





Na visão pela frente você vê que a cabeça está no mesmo nível do corpo nada de subir muito

Michael Phelps já trás os braços mais junto ao corpo

Na seqüência, Phelps mantém os braços quase colados ao corpo



Kosuke já leva os braços até o final do seu corpo


César Cielo é o brasileiro que melhor faz a técnica mas aqui ele saiu desalinhado

Nada melhor do que visualizar as imagens de vários dos principais nadadores do mundo para entender melhor a técnica da Saída de Atletismo com projeção dos braços para trás.




Na visão pela frente, Phelps também mantém a cabeça no mesmo nível do corpo

TÉCNICA DE SAÍDAS ENTRADA PERFEITA NA ÁGUA É FUNDAMENTAL
O movimento deve ser explosivo e perfeito. Mas de nada adianta uma saída rápida e explosiva com uma entrada desalinhada e cheia de resistência. Assim, é fundamental a posição de entrada na água, gerando a menor resistência possível e em completa posição de streamline

Natalie Coughlin é exemplo perfeito de entrada na água


Natalie na seqüência


Quanto menos splash melhor


Natalie entra com a cabeça e os pés no mesmo buraco




4 comentários:

Anônimo disse...

gostei muito...
estou pesquisando para melhorar minha saída... tenho muita explosão porem a entradaq não é tão perfeita na aguá....
faço muita resistencia....
obrigado....

Anônimo disse...

gostei muito das formas certas de saida do bloco.Espero q isso me ajude futuramente.

tiago disse...

Ótimo!
Serviu de grande ajuda. Estava há um tempo procurando dicas para melhorar as "saída".

Obrigado!

diegogi 2007 disse...

Muito.bom mesmo... Eu.tbm queria saber se tem exercicios.fora d'agua .... Para melhorar a saida